January 22, 2019

April 4, 2018

Please reload

Posts Recentes

Tenha uma boa postura e diminua a dor nas costas

August 7, 2018

1/6
Please reload

Posts Em Destaque

Tenho diabetes... e agora?

Se você teve diagnostico recente ou tem sintomas que sugiram o início de diabetes, não se assuste, aqui vão algumas dicas para um bom convívio e manejo inicial da doença.

 

Procurar auxílio médico rapidamente é essencial já que as caraterísticas do inicio da diabetes, extraídas através de uma consulta completa, são importantíssimas para classificação e escolha do melhor tratamento. Sintomas como aumento de volume urinário e aumento de sede são extremamente comuns e podem ajudar na suspeita diagnóstica, bem como alterações nutricionais como ganho exagerado ou perda abrupta de peso; e sintomas neurológicos com alteração visual e perda de sensibilidade. Fatores familiares; outras doenças associadas, como problemas cardíacos, neuropatias, doenças da tireóide e hipoglicemia; devem também ser levados em consideração na abordagem inicial, e precisam ser questionadas pelo médico.

 

Um bom exame físico avaliando pressão arterial, batimentos cardíacos, peso e altura, ausculta cardíaca e respiratória, avaliação neurológica e avaliação minuciosa dos pés podem ajudar em detectar complicações relacionadas a doença. Tudo isso, aliado a exames laboratoriais que avaliem a glicemia de jejum, hemoglobina glicada, função dos rins, função dos outros órgãos endócrinos, perfil lipídico, é essencial para inicio do manejo.

 

Existem diversos tipos de diabetes, porém a mais comum e com aumento crescente em diagnóstico nas últimas décadas é a tipo 2 (mais de 90% dos casos). O início do tratamento do diabético, principalmente do tipo 2, pode ser feito com um especialista em clínica médica e em casos mais complexos, deve ser encaminhado a um endocrinologista para seguimento conjunto.

 

Ter o diagnóstico de diabetes causa um impacto de medo e dúvidas, com altos e baixos emocionais. Portanto, isso deve ser compartilhado com seu médico e com familiares, possibilitando um aprendizado maior a respeito da doença e minimizando os estigmas e preconceitos. Apesar dos riscos relacionados à doença, a maioria das pessoas pode levar uma vida normal, realizar atividades físicas, bem como continuar comendo, de forma parcimoniosa, aqueles alimentos que nos dão prazer.

 

Alguns sites de sociedades brasileiras e americanas trazem informações pormenorizadas sobre a doença ajudando a responder as inúmeras duvidas que surgem, como por exemplo: www.diabetes.org.br; www.diabetes.org, www.uptodate.com/patients. Para mais informações ou para diagnóstico, seguimento e tratamento, agende uma consulta com nossa equipe de clinica médica.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga